0

As emoções

São como ondas as emoções. Tive um breve vislumbre das ondas, navegávamos por elas enquanto a vida passava.

No princípio eram gentis, beijavam a embarcação saldando-a em sinal de boas vindas.

Aos poucos a envolvia tal qual uma ave com suas asas envolve os filhotes. Amor vem sempre acompanhado de uma sombra, os tolos se encantam com a beleza das cores, se entregam ao poder das palavras, dão a alma em troca de aromas…

Já não era tão gentil assim. As ondas aos poucos se tornam sólidas criando desafios para a embarcação. Os homens abraçam os desafios e rasgam os céus em afronta como revide de sua brevidade.

Mas quem se importa? Os desafios… Depois de um tempo tudo se adapta. Não sentem mais a fadiga da luta. Vêm a calmaria e já sabemos a quem ela precede.

A tempestade dá vozes aos ventos, traz coragem aos mares;
Com sua orquestra divina escreve uma canção sagrada.
As ondas fazem o barítono e os trovões floreiam a partitura;
A embarcação toca o céu num instante e se arremessa contra as profundezas do abismo no outro.

As ondas ora são escuras como o céu sem estrelas. Outrora são coloridas tal qual um arco-íris.

0

O amanhã

ESCREVER SOBRE O PROJETO

CRIAR FOCO NO EMPREGO

ESTUDAR PARA O FUTURO

É UM FATOR DETERMINANTE.

Não parecia que ela estava me aconselhando. Parecia que estava me reprimindo. Eu me senti assim, como se assim dissesse: “Você é tão inteligente, você deveria fazer isso, porque você não faz concurso?” Eu as vezes fico bloqueando todas as ajudas que as pessoas oferecem. Não sei se realmente queria me ajudar, ela parecia acreditar que sim, eu no entanto só estava balançando a cabeça, concordando com tudo que me dizia, enquanto o meu gênio oculto gritava em meus ouvidos que não tinha o menor interesse em ouvir esse tipo de conversa.

Eu estava dizendo a ela que isso era uma sacanagem. O que era mesmo? Ah sim: O assunto é profissional, pra resumir eu queria encerrar uma tarefa que me compete, mas estava dependente da ação de um outro, que não faz a mínima ideia do que estou falando (e olha que ele é pago para saber disso). Me provoca um sentimento de desgosto esse tipo de situação, era isso que eu estava tentando falar. Mas ela tem esse jeito intenso de me responder antes que eu termine de falar, interrompendo o que eu estava dizendo, e falando sobre uma coisa totalmente avessa ao assunto que eu estava propondo. (Ora, porque é mesmo que ela continua repetindo isso?) Meu pensamento parece viajar na velocidade da luz enquanto sua voz percorre os meus ouvidos, me aconselhando a estudar para virar funcionário público. “-Oi?” (- Porque foi que eu disse isso?) Eu pensei desconfortável. Ela aproveitou a deixa e explicou que é isso que aconselha seus filhos a fazerem. Repetiu três vezes a mesma frase. Eu já havia entendido na primeira. Aliás: Na metade da primeira, eu só ouço o resto do que me diz porque sinto-me obrigado pelas etiquetas. Mas… isso vale a pena no fim das contas.

A gente fica brincando as vezes o dia inteiro. Quando cuidamos de nossos assuntos buscamos a perfeição. Tentando provar a não-sei-quem que somos bons profissionais. Quem sabe a nós mesmos. Eu quero isso. Provar a mim que sou um bom profissional, levar qualidade aos meus clientes, fazer bem feito. Sinto que você também quer e por isso me sinto feliz. Sim eu mudei a pessoa, você não é ela, mas naquele momento a senti olhando pra mim.

Que mulher! Hahaha! Contigo me sinto mais forte. Gosto do jeito que me olha, que me trata. Queria ter lhe conhecido em outro mundo, em outra vida. “- Eu vou acender um cigarro.”

O mundo está uma loucura. Estou tentando sobreviver. Eu ofereço o respeito em troca do respeito. É uma fronteira entre o eu e o outro. Nessa fronteira preciso estabelecer melhores regras para que as pessoas possam se aproximar. Também para que eu possa me desempenhar melhor em minha vida profissional. Se as coisas derem certo agora, eu vou acelerar, esse é um ponto crucial. Preciso fazer mais, buscar mais conhecimento, oferecer maior capacidade intelectual. Devo investir também em habilidades sociais. Prefiro o silêncio, me deixa mais íntimo comigo me mesmo. Sinto-me bem com a minha presença. As vezes até mesmo mulheres que eu conheço acabam me incomodando depois de um tempo. Essa é a minha sina, poucos conseguem se aproximar, ganho mais de mim, mas sou castigado pela solidão. É por isso que devo sacrificar a minha vontade de ficar sozinho e aprender a interagir mais. Eu deveria fazer teatro pra aprender uma coisinha ou outra, será que isso é possível aos 30? Oras, eu não sei. Mas o fato é que preciso encontrar meu foco no meio de toda essa bagunça.

Então respira e pensa: Escrever sobre o projeto, aumentar o foco no emprego e estudar para o futuro!

Um dia de cada vez. Um tijolo de cada vez. Respira. Vai!

0

Um novo ano

E o mundo andou mudando. Faz tempo que não escrevo, de Julho pra cá muita coisa aconteceu. Finalmente passou aquele horrível clima político que assolava o país. Eu não aguentava mais.

O final do ano pra mim foi uma loucura, muita correria e luta pra conseguir fechar aquele semestre na facul. Graças a Deus tudo deu certo. E digo graças mesmo, porque eu realmente achei que não iria conseguir.

Em Agosto consegui um novo emprego. Parei de fumar maconha por 5 meses, mas já voltei. Sinto que me conforta, só preciso me cuidar pra não afetar meus estudos e o meu lado profissional.

Depois de conseguir esse emprego fiquei numa correria que só. Eu confesso que achei que não iria passar na entrevista, estava desesperado. Foram 3 fases. Uma prova que eu fui totalmente despreparado, depois de uma semana fumando igual uma chaminé. Mas passei de alguma forma. Depois veio a primeira entrevista, fui pra empresa de blusa e fez 40°C no dia virei uma máquina de suor logo durante a entrevista. Eu queria tanto passar, o entrevistador chegou a ligar o ar condicionado pra me ajudar. Saí de lá achando que tinha rodado e me chamaram pra segunda entrevista. Uma entrevistadora muito linda lá da empresa, quase caí pra trás quando a vi. No fim deu tudo certo, mas me ligaram dizendo que estavam oferecendo um estágio pra me testar. Eu aceitei. Não sou bobo nem nada.

Parei de fumar e fui trabalhar. Ainda estava fazendo uns bicos de locutor na época, então deu pra me manter na corrida. Durante a semana fazendo estágio e correndo atrás dos estudos a noite e nos finais de semana trabalhando na locução.

Mas Novembro acabou a mamata. Não me chamaram mais pra trabalhar aos finais de semana. Até foi bom porque eu estava sem tempo pra estudar e aproveitei pra me dedicar. Dedicação aliás que foi a chave pra vitória no fim das contas, mas que não teria vindo sem a ajuda de Deus.

Nessa época eu estava saindo com uma guria casada. Vou chamar ela de D. Acabei me rendendo aos agrados dessa mulher. Conseguiu encontrar um buraco enorme que estava em mim e me ajudar a fazer curativo numa dor que me consumia. E de quebra acabamos gostando um do outro. Saímos, nos beijamos e até transamos. Depois eu me apavorei e acabei cortando ela da minha vida, foi difícil e sinto até agora. Tem dias que quase ligo pra ela, sei que vai me atender, mas era pra ser. Tive no final das contas que fazer o papel de açougueiro e cortar essa relação.

Dezembro veio solitário. Eu com aquele medo todo de reprovar me dediquei mais a orações. Confesso que estava muito apavorado nesse mês e por algumas vezes escapei de acidentes. Andava muito distraído na moto, mas sempre voando. Passei o natal e o ano novo sozinho até que em Janeiro encontrei uma guria pra sair. Linda ela, mas tem seus ângulos. Eu também tenho então o que importa? Fiquei nervoso e nosso primeiro sexo não foi muito bom. Mas a gente compensou depois. Estamos saindo desde então. Tivemos que dar uma pausa porque minha mãe apareceu pra visitar.

Veio lá de Curitiba. Mamãezinha. Veio com minha querida tia também. As duas velhinhas 12h de viagem pra ver esse mané aqui longe de casa.

Preparei a casa, deixei um brilho. Do jeito que ela gosta. Fui ao mercado e fiz uma compra bacana, inclusive com alguns ingredientes veganos, já que a mãe não come carne.

Preparei sagu no dia anterior. Aproveitei pra comer o almoço da mãe nesse dia. Falamos bastante, eu aproveitei pra tentar entender melhor a minha família. Depois fiz um strogonoff para elas jantarem e um mousse de sobremesa. Fomos na igreja neste primeiro sábado. Deus chegou a falar comigo, tenho certeza que vai me ajudar nesses próximos meses, nas próximas lutas. E foi isso. No domingo a gente tomou um sorvete e almoçou e elas foram embora durante a tarde. Fiquei feliz com a visita.

Mas as próximas semanas foram de luxúria. Acabei encontrando uma segunda guria pra transar e uma terceira. A primeira é loira, mas tem o cabelo pintado de ruivo. As outras duas são loiras. Foi uma loucura. E já encontrei mais duas que estou investindo. Quero aproveitar pra transar bastante. Tem coisa melhor?

Mas sinto que estou me perdendo. Estou tentando aprender a fumar. Tem sido uma vida com drogas e sexo. Preciso me forçar pra conseguir me destacar na vaga que estou ocupando.

Preciso aprender a dedicar tempo aos outros tipos de relações também. Já planejei na minha cabeça, se eu for efetivado vou convidar todo mundo (que quiser vir) pra jantar aqui em casa. Todo mundo da empresa eu digo. Vou ter que me esforçar pra entreter a todos, tem alguma técnica boa aí?

Preciso fazer um social. Conquistar algumas pessoas. Bons amigos fazem um bem danado né?

0

Ilusões

E eu que de tanto ler sobre DAO e aos poucos comecei a desenvolver minha própria ideia sobre DAO? Eu o chamo de “O DAO das ilusões”.

Boa semana! A quem quer que essas palavras cheguem.

Bem… eu como todos vocês aí tenho dado aquele pulo rotineiro no Tinder, nunca fui bom nesses jogos. Tenho que usar uma frase especial? As pessoas nem estão realmente afim, rola uma conversa a cada 100 matches e nem é “aquelas coisas”.

Enfim. Eu não sou o cara animadão pra porra nenhuma. Principalmente agora que fiz 30. Decidi: Se “quer” vai ter que me conquistar… passei a vida inteira tentando conquistar as pessoas e não deu certo. Estou vivendo no meu passinho, fazendo pra mim, assim estou me mantendo aos poucos.

Mas (e você já esperava por essa conjunção)… Ainda tenho lá no fundo uma sombra de expectativa. Pode ser que ela realmente seja a última a morrer… essa tal de D. Esperança.

Encontrei uma guria com 22 anos, evangélica, nunca namorou. Naquele nível que até escutar música é pecado, porque é do “mundo”, segundo ela. Eu já fui exatamente desse jeito. Talvez até pior, mas eu parei com isso aos 17, era outro mundo. É possível rolar alguma coisa entre pessoas assim? De mundos totalmente diferentes?

Eu acredito em Deus, mas a minha visão é um tabu pra ela, tenho certeza. Tenho muito a escrever, mas não quero me estender por medo de que ninguém leia. Você já passou por isso?

0

Vontade

Já não mais quero ser parte do que nunca fui. Já nem tenho mais tempo para tantas futilidades, busco encontrar em mim a paz que nunca encontrei em vós.

Quando os dias estiverem curtos e minhas lágrimas secarem de quem me lembrarei?

Se a mim não for dado o dom da imortalidade porque aqui estou?

Nada mais faz sentido, porém ainda preciso entender o significado do que é fazer sentido.

Será?

Será que o amor é a resposta? Será que a religião?

Você acredita na palavra mito? Se alguém pudesse contar uma mentira tão grande que nunca descobririam a verdade quem seria? E se esse alguém fosse um país? Qual país seria?

Quando você puder se desprender das raízes da língua natal, quando puder se desfazer da cultura local e jogar no lixo sua religião, quando finalmente compreender que você nunca foi escravo do dinheiro, mas das pessoas que criaram o dinheiro, que nunca foi escravo da fé, mas das pessoas por trás de sua fé, que nunca foi escravo da ignorância, mas das pessoas por trás das palavras que deram origem ao mundo que você acredita existir, quando isso acontecer você finalmente vai se libertar das correntes que lhe mantiveram nessa prisão.

Ignorância nunca foi uma benção, é na verdade uma arma que controla a sua pessoa. Se fosse rezar agora, meu segundo pedido seria que essa nação de tolos finalmente acordasse. Quanto ao primeiro? … outro dia falamos sobre isso.

Meu conselho seria leia: Leia muito, leia ao dormir e ao acordar, leia nos intervalos do trabalho, busque outras perspectivas, outras visões: Você acha que esse é o jeito certo? Encontre pessoas que acham o contrário. Abra sua mente, expanda seus horizontes, mas tome cuidado. Quem caminha por muito tempo ao lado de um rio acaba molhando os pés (ou pior).

Se você acha que é um bom leitor reveja seus conceitos. Eu achava que era um. Hoje tenho uma velocidade máxima de 800wpm e média de 500wpm, apesar de ser muito melhor do que os tempos em que pensava ser um bom leitor, sei que estou longe de ser um deles. Apesar do Sprint Reader soprar em meus olhos essa frase que soa como um elogio:

Did you know?
It would take you approximately 59 minutes to read F. Scott Fitzgerald’s The Great Gatsby at your current words per minute (WPM)! How does that make you feel?
Disclaimer: This is a true and fun fact.

 

Mito; alegoria; parábola;

Em certo sentido essas palavras tem o mesmo significado. Qual a melhor forma de passar ensinamentos para crianças? Exemplos. Histórias que não aconteceram, mas que de certa forma criam uma ilusão no ouvinte, possibilitando a compreensão mais rápida do que se pretende ensinar.

Um bom manipulador sabe (um bom leitor é um ótimo manipulador): A melhor maneira de dominar as pessoas é através da mente. Uma boa história.

Platão deixou recado, pediu pra não mostrar a luz para as crianças, afinal das contas quem possui a luz pode acabar sendo “morto” (aspas bb, interprete como quiser). Nesse mundo de loucos, muitas vezes nos deixamos seduzir pela ilusão dos sentimentos e tentamos mostrar a luz aos que amamos: A história se repete. Gênios queimados na fogueira, escondidos na solidão das universidades ou apagados pela mediocridade humana.

Não é como você acredita, não é como te contaram, não é assim que as coisas realmente são. Está na hora de acordar, sair da bolha que você esteve vivendo todos esses anos, como uma nação de escravos pode ser tão tola?

Se a verdade fosse um livro quantas palavras ele teria? Provavelmente se juntassem as histórias de todos os povos, ainda assim não seria suficiente pra formar a sinopse da verdade. Vou deixar uma lenda para concluir:

Cook Ding was cutting up an ox

Cook Ding (Ting) was cutting up an ox for the King Wén-huì. Whenever he applied his hand, leaned forward with his shoulder, planted his foot, and employed the pressure of his knee, in the audible ripping off of the skin, and slicing operation of the knife, the sounds were all in regular cadence. Movements and sounds proceeded as in the dance of ‘the Mulberry Forest’ and the blended notes of ‘the King Shâu.’

The King said, ‘Ah! Admirable! That your art should have become so perfect!’

Having finished his operation, the cook laid down his knife, and replied to the remark, ‘What your servant loves is the method of the Dào (Tâo), something in advance of any art. When I first began to cut up an ox, I saw nothing but the entire carcase. After three years I ceased to see it as a whole. Now I deal with it in a spirit-like manner, and do not look at it with my eyes. The use of my senses is discarded, and my spirit acts as it wills. Observing the natural lines, my knife slips through the great crevices and slides through the great cavities, taking advantage of the facilities thus presented. My art avoids the membranous ligatures, and much more the great bones.

‘A good cook changes his knife every year;– it may have been injured in cutting; an ordinary cook changes his every month;– it may have been broken. Now my knife has been in use for nineteen years; it has cut up several thousand oxen, and yet its edge is as sharp as if it had newly come from the whetstone. There are the interstices of the joints, and the edge of the knife has no appreciable thickness; when that which is so thin enters where the interstice is, how easily it moves along! The blade has more than room enough. Nevertheless, whenever I come to a complicated joint, and see that there will be some difficulty, I proceed anxiously and with caution, not allowing my eyes to wander from the place, and moving my hand slowly. Then by a very slight movement of the knife, the part is quickly separated, and drops like a clod of earth to the ground. Then standing up with the knife in my hand, I look all round, and in a leisurely manner, with an air of satisfaction, wipe it clean, and put it in its sheath.’

The King Wén-huì said, ‘Excellent! I have heard the words of my cook, and learned from them the nourishment of our life.’

0

Quem muito pensa nada faz, dizem por aí. Quem pensa entende isso, mas é claro acredita estar errado. Afinal das contas refletir demasiadamente cria na pessoa a sensação de angústia ao fazer algo que considera imperfeito. Assim fica, ponderando o tempo todo, tentando encontrar a forma correta de fazer o que lhe é fadado. Quem pouco pensa muito faz, mas faz errado dizem os pensantes, ainda assim o faz e cria-se o mérito.

 

Chat
0

Loucura

Cada vez me sinto mais louco. Mas não sinto apenas que eu estou passando dos limites entre a sanidade e a loucura, sinto que várias pessoas também estão. Tudo é um jogo, no fim das contas o que vai te levar a esse ou àquele lugar é o seu desempenho em campo.

Hoje tentei me aproximar dela outra vez. Delas pra falar a verdade. Na verdade quando estávamos juntos nunca pensei que iria sentir a sua falta. Eu percebo que desde o começo nunca estive interessado de verdade em você, eu queria é provar pra mim mesmo que nunca mais alguém iria me magoar. E provei! Pelo menos naquele instante. Nunca nem te dei valor, fiz o que eu pensava ser melhor pra mim e sempre te deixei em segundo lugar, no final de algum jeito que não entendo descobri que realmente gostava de você. O problema é que não percebi que eu havia sido fisgado e nem você percebeu, como já tínhamos acabado não há como voltar pra dizer que você conseguiu, que eu me apaixonei. Só pelo seu jeito acredito que nunca saberá, deve pensar ainda que sou ruim contigo e que só faço as coisas pensando em mim. Queria que você soubesse, sem precisar eu te dizer, que eu poderia sim fazer tudo aquilo que você queria e até mais, em prol de poder caminhar ao seu lado durante algum tempo. Eu que nunca fui de fazer promessas hoje faria promessas idiotas. Mas é bom que  essa situação imaginária jamais vá acontecer. Dessa forma eu não faço papel de bobo e passo vergonha. Prefiro deixar em sua mente a imagem do cara egoísta do que a do bobão. Ao menos o primeiro tem orgulho próprio. E que Deus me ajude, preciso dar mais valor ao meu.

OK! Prometo, vou me restringir mais.

Vamos às prioridades, agora é tempo de lapidar minhas habilidades. Preciso parar com as coisas erradas que tenho feito e focar nas árduas e monótonas tarefas necessárias para adquirir destreza. Para algumas coisas é preciso treino, disciplina e paciência. Lembra do mantra? Paciência, disciplina, sabedoria, inteligência e foco!

Eu tenho feito há algum tempo certa distinção entre os termos sabedoria e inteligência. O primeiro é mais culto, antigo e parece apontar para conhecer, saber… Logo, em minha opinião, ter sabedoria, ou seja, saber das coisas, nem sempre significa que você vai usá-la a seu favor. Para isso é preciso que tenha-se também inteligência.

Lapidar as habilidades.

Sair do ciclo vicioso e se concentrar no processo.

Não será simples, mas preciso conseguir. Lembre-se de dar valor ao que recebeu de bom, de retribuir as boas ações e plantar boas sementes. Regar pode parecer moroso, porém trará compensações satisfatórias. E cumpra com suas promessas! Falar e fazer. Fazer mais do que falar. É melhor manter essa boca fechada. Assim ao menos você para de se comprometer.

Foco, disciplina, paciência, sabedoria e inteligência!

Loucura? É… parece mesmo que já atingi os limites da sanidade.